Astronauta Mecanico

RUMOR

Autora: Tenille Bezerra (Salvador-BA)
Projeto gráfico e capa: Astronauta Mecanico

Formato: 12×18 cm
56 páginas
Este livro foi composto em tipologia Trade Gothic (capa e miolo),
com detalhes em DIN, no papel pólen bold, pela gráfica Bartira, para a Editora Moinhos.

 

não fosse chão
talvez fosse casa
vida nova rumor
memória
fogo aflora
raio ancora
rindo do que
não ar
não fosse não
talvez fosse asa
se amor fosse palavra
tudo estaria perdido.

São Paulo, 2017


“Poesia das entranhas, de apelo vertical, telúrico e ígneo, em permanente diálogo com o vento, o tempo e com a força incontida da expressão, os versos de Tenille falam de um corpo indócil, da quimera das navalhas, dos anzóis que esqueceram a pesca, das fontes que permanecem puras, da permanente madrugada do espírito e da solidão das sobras.
Seus poemas flertam com o pensamento e a filosofia, mas sobretudo com uma estética da existência. Nesta estética, surgem imagens que evocam mitos, deuses, ritos secretos, mini-narrativas, sussurros mágicos, orações, inscritas sob a sutileza da imensidão.
Sinto que seu corpo e sua poesia são o mesmo território: paisagens quentes, loucamente incertas; limites que escapam; campos abertos e trilhas inundadas de sol.”

Gustavo de Castro


ella se desnuda en el paraíso
de su memoria
ella desconoce el feroz destino
de sus visiones
ella tiene miedo de no saber nombrar
lo que no existe.

Alejandra Pizarnik